Jinga de Angola, rainha guerreira africana do século XVII, chegou a estender seus domínios por quase um quarto do território que hoje contempla o norte de Angola, enfrentando, vitoriosa, opositores do sexo masculino. Naquele país, a Rainha Jinga é considerada uma heroína nacional, e no mundo, é famosa por sua resistência à colonização portuguesa. Este mês, o Brasil ganha uma nova biografia sobre a personagem, também conhecida como a “Cleópatra da África Central”, escrita pela professora de história e estudos afro-americanos da Universidade de Boston, Linda M. Heywood. Publicado pela Editora Todavia, o lançamento contará com dois debates, no Rio e em São Paulo, com a participação de ativistas, jornalistas e escritores.

 

São Paulo: quinta-feira (14), 20h
Bate-papo sobre Jinga de Angola, com a jornalista e escritora Bianca Santana, a educadora Jordana Braz (Instituto Tomie Ohtake), Juliana Gonçalves, jornalista e integrante da Marcha das Mulheres Negras/SP, e Maria Sylvia de Oliveira, presidente do Geledés.

Aparelha Luzia: Rua Apa, 78 – Campos Elíseos

 

Rio de Janeiro: Segunda-feira (18), 19h
Bate-papo sobre Jinga de Angola no ciclo Outras Histórias do Feminismo: Forças Plurais, da Blooks, com a jornalista Stephanie Borges, a deputada federal Talíria Petrone e Ynaê Lopes dos Santos, coordenadora do Laboratório de Estudos Étnico-Raciais da FGV.

Livraria Blooks: Praia de Botafogo, 316, Botafogo

 

Compartilhar: